“See The Sun” é o primeiro single a ser apresentado pela EA Wave em 2020 e conta com o contributo do artista sueco de synth pop Pikes. “Trata-se de um sólido ritmo afro-cubano sustentado pelo falsete de Pikes e vozes encharcadas de reverb”, pode ler-se no comunicado da banda. A letra inspira-se no gélido inverno sueco e no desejo do sol de verão e de toda a alegria que ele traz.

2019 foi um ano bastante activo para a EA Wave (abreviatura para East African Wave). Além de terem mostrado ao mundo os singles “Dala” e “Alango”, com este último a beneficiar da participação do artista queniano Makadem, o colectivo composto por Jinku, Nu Fvnk, Hiribae, Ukweli e Sichangi editou ainda um EP, High Tide, que coloca a nu o imaginário dos constituintes ao longo de cinco temas, cada qual com a sua singular assinatura, oscilando entre sintetizadores cortantes, batida house e ritmos africanos.

Para a EA Wave, 2020 começa com este “See The Sun”. Todavia, para Jinku, um dos elementos mais dinâmicos a par de Nu Fvnk, o ano arrancou mais cedo com o lançamento do single “The Enchanter”, há cerca de uma semana. A canção exprime-se nos terrenos da batida afro que tão bem caracteriza o produtor que também responde por Jacob Solomon.

Oriundos de Nairobi, os EA Wave (ou a EA Wave) são, mais de que um grupo musical, uma família que trabalha no sentido de redefinir o som da capital queniana, já tendo colaborado com vários artistas locais, como Makadem e Karun, entre muitos outros, e internacionais, como serve de exemplo Jojo Abot, artista ganesa radicada nos Estados Unidos com a qual desenvolveram o projecto AFRI-NA-LADI. Se actualmente existe uma sonoridade apelidada Nu Nairobi, em muito se deve a este conjunto de DJs e produtores que uniu esforços para criar o seu próprio movimento, a sua própria expressão musical.