Ivan Dorn x Seven Davis Jr: algures entre o jazz e a electrónica

Não se foquem demasiado no título do artigo, até porque o jazz e a electrónica são apenas a baliza estilística onde Ivan Dorn e Seven Davis Jr se inserem. No fundo, estamos perante uma dupla que tão facilmente centra as suas forças na música feita a partir de computadores e outras máquinas digitais como rapidamente recorre ao flugelhorn, um instrumento da família dos trompetes, muito utilizado em ambiente jazzístico. Quase como se os Yussef Kamaal (projecto que une Yussef Dayes a Kamaal Williams) tivessem marcado um encontro com Oscar Jerome sob a tutela de Tom Misch. O resultado é diverso e oscila entre a pop, UK bass music, house e soul.

Falamos de artistas de longitudes bem distintas: Ivan Dorn, vocalista ucraniano de origem russa; Seven Davis Jr, produtor, compositor e vocalista norte-americano. O primeiro contacto entre os dois aconteceu quando Dorn, de visita a Los Angeles, comprou um disco de Davis Jr, deixando-se imediatamente apaixonar pela música deste. “Consultei a sua playlist na Apple Music e reparei que grande parte dos temas iam ao encontro do meu gosto”, conta o músico ucraniano em comunicado. Ivan recorreu às redes sociais para entrar em contacto com o produtor, que se mostrou bastante surpreendido. “Expliquei-lhe quem era e mostrei-lhe o meu single ‘Afrika'”, continua. “Depois disso, ele percebeu que eu estava a falar a sério. Perguntei-lhe qual eram os seus planos no próximo mês – como tinha tempo livre, apanhei o avião para Los Angeles. E foi aí que a magia aconteceu. Numa questão de segundos, sentimos que já nos conhecíamos há uma vida. Criámos três faixas nessa sessão e encontrámo-nos mais tarde em Kiev para construir mais”.

Ivan_dorn_seven_davis_jr_bts_9

Nesse seguimento, a dupla trancou-se no Museu de História Natural de Kiev, onde gravou um álbum em formato live, anexado de um vídeo onde é possível encontrar, além dos dois anfitriões, o multi-instrumentista Sura Tomasian. “Quando pensámos sobre o lançamento, não havia dúvida que teria que ser uma apresentação ao vivo, por isso o realizador Gena Trunov dirigiu as gravações no museu. Gostámos tanto do resultado final que decidimos editar primeiro algumas versões ao vivo (vídeo e áudio) e depois o EP”, acrescenta Dorn.

Seven Davis Jr, que no vídeo surge ao piano, também tem uma palavra a dizer: “Nunca sabes que coisas boas te reserva a vida. Por isso é que eu me sinto grato em ter uma mente aberta. Não haveria outra forma de este projecto acontecer”. Além de juntar dois músicos separados por um imenso mar, este projecto também se mostra bastante heterogéneo nos géneros escolhidos. “Com o coranavírus e as quarentenas a acontecerem, sinto-me muito feliz em partilhar este concerto ao vivo. Algo de novo para o mundo novo em que vivemos”, remata.

 

14