MV4: a cápsula musical de Gilles Peterson

Gilles Peterson é um dos mais importantes nomes do novo jazz britânico. Além de ter editado a compilação We Out Here (onde residem trabalhos dos Ezra Collective, Moses Boyd, Theon Cross, Nubya Garcia e Shabaka Hutschings), o coleccionador de discos, radialista DJ e proprietário do selo Brownswood Recordings é também o organizador do We Out Here Fest, um evento que junta em palco incontornáveis nomes desta jovem expressão artística, realizado pela primeira vez no ano passado em Abbots Ripton – esperemos que o certame, que terá a sua segunda edição entre os dias 20 e 23 de Agosto de 2020, não seja mais um a entrar para a lista dos adiamentos ou cancelamentos causados pela COVID-19.

Gilles Peterson Presents: MV4 é o título da sua mais recente investida discográfica. O disco, captado ao vivo nos lendários Maida Vale Studios, reúne temas de um grupo constituído por Joe Armon-Jones, Dylan Jones, James Mollison, Mutale Chashi e Marijus Aleksa, com as participações especiais de Nubya Garcia, Asheber, Fatima, Oscar Jerome e Hak Baker – há também duas canções do colectivo de Bristol Ishmael Ensemble. A gravação, que data de 2018, tinha como primeiro intuito servir um episódio especial do programa de Peterson na BBC, mas a qualidade do resultado final e a particularidade do momento registado levaram-no a prensar tudo numa rodela de acetato, que viu a sua edição chegar ontem pela Browswood.

 

Com edição limitada, o vinil recebeu o apelido de “cápsula do tempo de magia musical”, não sendo caso para menos: ao longo de 53 minutos é possível testemunhar um verdadeiro dilúvio de talento, principalmente no que diz respeito ao desempenho nas teclas de Armon-Jones. Destaque para os temas “Starting Today”, “Do You Really” e “Hold”.

Não esquecer que Peterson “viajou” em 2019 até à Austrália para dar um considerável empurrão no lançamento de Sunny Side Up, uma compilação que visa dar voz a um conjunto de artistas emergentes da cena jazz de Melbourne, entre eles Kuzich, Dufresne, Allysha Joy, Zeitgeist Freedom Energy Exchange, Horatio Luna, Silentjay e Audrey Powne. Muito bem recebido pela crítica, o álbum teve direito a uma edição especial assinada pelo britânico, cujas receitas da venda reverteram todas a favor das comunidades indígenas afectadas pelos fogos que lavraram a Austrália há coisa de meses. Saíram 20 cópias em todo o mundo, e uma delas foi adquirida pela Ritmoterapia.

Sunny side up assinado

 

11