SDD#13: Ashley Henry

Formado na Royal Academy of Music e teclista de digressão de Christine and the Queens, Ashley Henry é um dos mais importantes nomes da cena jazz britânica. Tocou com nomes como Jason Marsalis, filho do recentemente falecido Ellis Marsalis Jr e irmão de Wynton Marsalis, e teve a oportunidade de colaborar com as lendas Terence Blanchard (trompetista) e Jean Toussaint (saxofonista). Foi o mais jovem artista de sempre a integrar o cartaz do festival Piano Trio Festival, onde se apresentou com Robert Glasper, e realizou em 2016 o sonho de tocar na final do concurso Unisia International Piano Competition, na África do Sul.

Em Janeiro de 2017, com apenas 25 anos, recebe um convite para fazer direcção musical nos emblemáticos Jazz Café e Ronnie Scott’s, ambos em Londres. Junta-se a este currículo trabalhos com Luke Flowers, MC Mattic, Monte Booker, Alicia Olatuja, Moses Boyd e Anthony Joseph.

No dia 6 de Setembro de 2019, Ashley Henry editou Beautiful Vinyl Hunter, registo de longa-duração que sucede ao EP Easter, de 2018. Além de ser o culminar das suas variadas influências, que vão de Terence Blanchard a Sinéad Harnett e dos Digital Undeground a Era Istrefi, é ao mesmo tempo uma obra contemporânea com sólidas fundações no passado. “Se não estudares a história, em qualquer que seja a forma de arte, não vais conseguir entender o que estás a fazer”, reflete em conversa com o Kite Eyewear, citada também no artigo que a Ritmoterapia escreveu sobre o músico britânico. “Especialmente no jazz; há tanta coisa que tem vindo a ser desenvolvida e reciclada desde os anos 30 a nível de ritmo, melodia, harmonia e interacção… Ainda que a minha música seja moderna e espelhe aquilo que acontece neste momento, soaria a vazia se eu não tivesse estudado a tradição jazz”, conclui.

Ashley Henry foi um dos artistas a actuar na cerimónia dos Worldwide Awards 2020 de Gilles Peterson, realizados no início do corrente ano, a par de Sampa the Great, Greentea Peng, Damon Locks Black Monument Ensemble e da parceria entre Makaya McCraven e Junius Paul. Acompanhado na bateria e no contrabaixo, o pianista interpretou temas do seu recentemente editado álbum, o qual fora nomeado na categoria de Álbum Jazz do Ano, perdendo para os Ezra Collective com You Can’t Steal My Joy.

 

7