When We Were Live é o título do álbum ao vivo de Yazz Ahmed, trompetista britânica de origem baremita que editou no ano passado Polyhymnia, um trabalho que celebra a coragem, determinação e criatividade feminina – no fundo, uma dedicatória a seis musas (Haifaa Al-Mansour, Ruby Bridges, Malala Yousafzai, Rosa Parks, Emmeline Pankhurst e Barbara Thompson) que desempenharam importantes papéis nos campos da arte, política e sociedade, revolucionando formas de pensar e agir, transformando o próprio mundo.

Polyhymnia sucede-se ao muito aplaudido La Saboteuse, de 2017, um registo que ajudou Ahmed a olhar para dentro e explorar as suas origens, servindo uma mistura entre jazz, sonoridades psicadélicas e música árabe. O álbum ganhou destaque nas listas de melhores do ano para plataformas como o Bandcamp, The Vinyl Factory e Stereogum, alcançando o lugar cimeiro das escolhas da The Wire e do Bird is The Worm.

Na sua novíssima aventura discográfica, Ahmed visita cinco temas do seu repertório, gravados durante uma digressão com o seu quinteto em França, em 2018. São eles: “Lahan Al-Mansour”, “La Saboteuse”, “Jamil Jamal”, “Whispering Gallery” e “Organ Eternal”.

“Estes últimos meses em casa fizeram-me perceber o quanto gosto de tocar ao vivo”, explica a artista na sua página de Bandcamp. “Sinto desesperadamente falta de partilhar a minha música, o contacto pessoal com a minha audiência e a emoção de tocar ao vivo com a minha banda. Eu sei que muitas pessoas estavam à espera de assistir a um dos meus espectáculos na Europa e na América do Norte este verão e por isso pensei em partilhar este álbum convosco, na esperança de proporcionar uma experiência que se aproxima da electricidade de um concerto”, acrescenta.

Yazz Ahmed – trompete, flugelhorn, electrónicas | George Crowley – clarinete baixo | Ralph Wyld – vibrafone | Dave Manington – baixo, electrónicas | Martin France – bateria