Isolamento e uma parafernália de equipamento: foi tudo o que Tenderlonious necessitou para construir a banda sonora da sua quarentena

Por vezes, até a mais devastadora catástrofe poderá trazer algo de positivo, ainda que residual na imensidão dos estragos causados. Para alcançarmos esse rasgo de luz, importa olharmos para o mar de destroços e, a partir daí, criar algo de proveitoso, algo que satisfaça as nossas ambições pessoais. Terá sido isso que Tenderlonious fez, à imagem de tantos outros músicos, quando aproveitou o confinamento para se rodear dos instrumentos e das máquinas que tinha em casa e começar a construir um disco, em pleno auge da pandemia. Ele, que recentemente colocou nas ruas o álbum The Piccolo – Tender Plays Tubby, uma homenagem à lenda britânica de jazz Tubby Hayes. Ele, que recentemente mostrou ao mundo Tender In Lahore, um disco que resulta de uma conexão com músicos paquistaneses. Não se poderá certamente queixar de falta de actividade.

O distanciamento social causado pela COVID-19 levou a que Tenderlonious se afastasse da habitual azáfama de digressões, das sessões de estúdio e dos ensaios com banda, e se aproximasse da sua vasta colecção de sintetizadores, caixas de ritmos e instrumentos, reunidos ao longo dos anos – isto para alguém que comprou o seu primeiro equipamento de estúdio aos 16 anos. Com toda essa parafernália – falamos de material que pode ir de um “simples” Fender Rhodes a um Oberheim Matrix 1000 ou até mesmo uma Roland TR-808 (!!!) – Ed Cawthorne criou a sua própria banda sonora da quarentena, inspirada em sci-fi e filmes de fantasia. De Quarantena, assim se chama o álbum que terá saída marcada para 21 de Agosto deste ano, conhece-se, para já, o tema-título, cujo ritmo parece ter sido sacado do clássico modelo da Roland já referido e onde flutuam calmamente melodias de flauta. Há sintetizadores e baixo a rematarem o ramalhete.

Enquanto não chega a hora marcada, e na esperança que até lá sejam reveladas mais canções, fica aqui uma lista do material utilizado por Tenderlonious nesta sua Quarantena: Flauta, Roland Juno-106, Fender Rhodes, Yamaha SY85, Roland JX-8P, Korg Polysix, Arp Axxe, Roland TR-606, Oberheim Matrix 1000, Dave Smith Mopho, Akaki MPC60 mkII, saxofone soprano, Novation Supernova, Roland TR-707, Yamaha DX, Nord Lead 2X, flautim, Access Virus A, Roland JV-1080, Sequential Circuits TOM, Roland RS-09, Oberheim DX, Roland TR-808, Akai MPC 2000XL, Studio Electronics SE1, Roland JP-08 e flauta alta. Pouca coisa, portanto.

 

18