Gentrificação e saudade: os temas centrais do novo vídeo de Douniah & High John

Editado em Novembro de 2019, Dream Baby é o disco de estreia da dupla Douniah & High John, que combina elementos de jazz, soul e hip hop. O álbum foi um sucesso imediato nas comunidades da neo-soul e do hip hop underground e recebeu o apoio de diversas rádios e serviços de streaming, tendo acumulado mais de um milhão e meio de reproduções.

Douniah é uma cantora e compositora sediada em Berlim. Nasceu em Marrocos, cresceu em Hamburgo. Começou a fazer música aos 15 anos, escrevendo poemas e pequenas histórias, aprendeu guitarra sozinha e começou a tocar ao vivo em pequenas salas de concerto, um ano depois. As suas influências musicais oscilam entre música tradicional marroquina, hip hop e jazz. Já gravou com nomes como Farhot e Cap Kendricks e abriu para concertos de Sudan Archives, Ebow e JuJu Rogers & Negroman. Assume o papel vocal no projecto que divide com High John, que, por sua vez, trata das bases instrumentais.

Em Janeiro de 2020, Douniah viajou até Marrocos com a sua mãe Mina e a unidade de produção cinematográfica Treibhaus Kollektiv, de Berlim, para dar uma vida em película a “Neighbourhood” e “I Miss”, dois temas de Dream Baby. “Neighbourhood” foi maioritariamente filmado em Agadir enquanto “I Miss” captura uma viagem entre Agadir e Casablanca. O filme arranca com um pôr do sol lilás na costa de Anza, o antigo bairro da sua família em Agadir, e transporta-nos ao longo da história de Douniah, da sua mãe, das suas heranças e do sentimento de pertença.

Agadir foi vastamente afectada pela gentrificação e pelas estruturas pós-coloniais que conduziram a uma realocação das pessoas. Só em Anza, ao longo de uma década, 200 mil pessoas foram empurradas da costa para as montanhas. Separaram-se comunidades, demoliram-se casas antigas para a construção de novas, mais caras. Foi onde a família de Douniah viveu durante gerações, onde a sua mãe Mina passou uma boa parte da vida e onde regressa todos os Verões. Foi onde Douniah viveu a sua infância, aprendeu a andar, pensar e falar. Uma história que será certamente familiar a todos os moradores de cidades como Lisboa e Porto que se viram obrigados a trocar o centro pela periferia por causa dos efeitos nefastos da especulação imobiliária e gentrificação.

O vídeo de “Neighbourhood” debruça-se sobre a problemática de não nos sentirmos em casa no lugar onde nascemos e crescemos, ao mesmo tempo que “I Miss” retrata a dor da saudade desse mesmo lugar. Na letra de “Neighbourhood”, Douniah reflete sobre crescer com uma mãe solteira em Hamburg Barmbek-Süd, um bairro predominantemente branco. Recorda como eram tratadas por serem diferentes. A dicotomia traz à memória uma canção do colectivo francês Sniper em que Tunisiano, um dos elementos, medita em torno desta questão de, enquanto emigrante, não sentir que o país onde reside o integra e, ao mesmo tempo, sentir que a Tunísia, onde nasceu, também não se esforça para o receber de braços abertos.

323